Os sete pecados capitais da leitura

Publicação: 17 de janeiro de 2013

OS SETE PECADOS CAPITAIS DA LEITURA

GANÂNCIA: qual é o seu livro mais caro? E o mais barato?

O livro mais caro que eu tenho é…não sei. Não sou muito atenta com isso. Mas não tenho culpa em gastar com livro, então sabe como é. Não é pouco frequente que eu gaste mais do que devia para ter um livro.

O mais barato? Bom, eu frequentava um sebo que vendia livros por peso. Então tenho uns que custaram 25 centavos. Mas de aquisição mais recente, paguei dois reais numa edição bilíngue dos poemas de Juan de la Cruz. Graças às máquinas do metrô.

 

 

IRA: com qual autor tem uma relação de amor/ódio?

Aaaaaaah, essa é fácil:

E não, não é pelos assassinatos que eu amo e odeio George R. R. Martin. É por coisas mais sutis e difíceis de explicar. O jeito como ele domina a trama e como nos usa. fazendo amar e odiar quem ele deseja. O fato de eu ficar louca e mesmo assim não saber como ele vai terminar o livro, uma vez que a história tem todos aqueles pontos de vista simultâneos. Minha nossa, a forma como ele desenvolve o texto dele me deixa me corroendo por dentro . Ao mesmo tempo, ele tem personagens femininas críveis, ele desenvolveu um mundo apaixonante, e consegue impor uma doçura para a trama que é algo ímpar. Sim, doçura. Apesar de ser sujo, até grotesco, as vezes, é muito poético.

Eu me tornei uma apaixonada por suas criações, e ao mesmo tempo… ai que vontade de esganar.

 

 

GULA: que livro devorou e voltou a reler sem qualquer vergonha?

Eu sou um tanto obsessiva, quando o assunto é leitura, então a lista seria grande, rs. Mas acho que um que vale o título foi

 

harry potter e as relíquias da morteForam 7 anos acompanhando a história, lendo, teorizando, analisando, relendo, conversando. Foi um processo que não é descritível para quem não vivenciou. Mas de repente, ler era algo que eu não fazia mais sozinha. Era diferente de O Senhor dos Anéis, onde a leitura é solitária, mas que o aproveitamento não é. É diferente das Crônicas de Gelo e Fogo, porque são livros que cada um está lendo um volume diferente, com um ritmo muito diferente. Harry Potter não tinha a leitura solitária: era uma leitura coletiva, quase. Compartilhada quase página a página, discutida por um ano até a chegada do próximo livro…

Comecei a ler o sétimo livro tremendo. Passei da folha de rosto, e quando cheguei na dedicatória, já comecei a chorar (e agora eu sei que não fui a única, rs). Chorei da primeira até a última página; porque era o último, era o final de algo que nunca mais aconteceria. Cheguei na última página, fui lavar o rosto, e comecei de novo do começo. Assim. Na hora.

Eu precisava daquilo.

 

PREGUIÇA: que livro você esqueceu ou deixou de lado por preguiça?

Nunca deixei um livro de lado por preguiça. Normalmente livros que me deixam muito impactada podem ser deixados de lado por um tempo, para eu respirar e absorver. Mas, largar mão, por largar mão, não consigo pensar.

Gente, eu li até a saga Crepúsculo…rs

Minha relação com a leitura é a relação de um viciado em crack. O cara não larga uma pedra meio fumada porque ficou com preguiça…

único livro que não consigo terminar de ler nem fodendo – Paideia, de Werner Jaeger sinhôdagrória como um livro pode ser tão complexo. Sei lá, é o único livro até hoje que eu me senti burra lendo. Ainda consigo terminar o desgraçado, mas é osso.

ORGULHO: de que livro que leu gosta de falar para parecer extremamente intelectual?

Por uma questão religiosa, tenho a tendência a ler uns calhamaços acadêmicos de dar medo. Então eu poderia colocar aqui algum deles.

Mas acho que o que me sinto mais intelectual citando são meus surrealistas amados, todos eles, e os realistas fantásticos, aqueles lindos.

Ano passado li Bioy Casares e descobri que amo ele mais ainda do que Borges.

Adolfo Bioy Casares

Ele é aqueles escritores que te fazem pensar “eu quero ser assim quando eu crescer”;

e eu me sinto meio “hipster do bem” quando todo mundo está citando Borges e eu digo “Prefiro Bioy Casares”.

 

LUXÚRIA: quais as personagens mais atraentes que já encontrou nas suas leituras?

Pergunta difícil… mas não preciso pensar muito para chegar a conclusão de que foi Derfel Cadarn, narrador das Crônicas de Arthur de Bernard Cornwell.

Ele é mais do que bonito e forte, ele é atraente mesmo. Apaixonante. Ele te conquista página por página e te faz amar cada defeito e detalhe de sua personalidade. Cornwell deu a ele uma visão de mundo muito humana, muito inteira. E ai, não posso dar spoilers, rs, mas ele faz coisas pela mulher que ama, que não são presentes ou romantismo barato, sabe. Não… é algo além, é amor mesmo.

E além de tudo, existe um charme em filhos bastardos de reis…

INVEJA: qual o livro que os seus amigos têm e que você gostaria de receber como presente?

Huuuum… como tem que ser um livro que um amigo tenha, fica mais específico. Acho que é o Gnomos, de Wil Huygen. Porque… ele é lindo. Eu queria quando saiu, mas era caro. E depois rareou e ficou ainda mais caro. E é um livro que eu sempre acabo deixando para depois, para depois, para depois… mas babo sempre que posso por as mãos em um exemplar de alguém.

Quando a lista de livros que se quer comprar é muito vasta, comprar um livro só por achar bonito acaba jogando ele pro fim da lista. O que é injusto. Mas é fato. E eu continuo me mordendo por esse livro.

E você? Quais são os seus sete pecados capitais da literatura?


Tags ,
Categorias meme

Deixe um Comentário